Home office: ter rotina, prioridades e ‘isolar’ o celular são receita para render e não perder tempo.

Trabalhar em casa pode ter sido inesperado, mas o jeito é seguir em frente e procurar se organizar. A principal dica é não mudar radicalmente seus horários porque, quando tudo voltar ao normal, um desajuste pode ser irreversível, alerta fisiologista.

O isolamento social imposto pelo novo coronavírus no Brasil fez com que muitas empresas e profissionais adotassem o home office para não interromper suas atividades. Porém, para quem nunca havia trabalhado remotamente, muitas dúvidas e distrações podem surgir. A dica é parar, pensar e criar uma rotina.

Mesmo que de maneira improvisada, o home office é uma oportunidade de o funcionário ter mais liberdade e rendimento. Mas se engana quem encare ele como uma folga. A dica inicial é fugir das armadilhas que o conforto do lar oferece.

É muito tentador poder trabalhar em casa, sem ter que pegar o transporte público ou sair correndo para não chegar atrasado. E logo vem a ideia de poder dormir mais ou adiar o início das tarefas. Se você pensa assim, errou.

Especialistas em recursos humanos e saúde e profissionais que fazem home office há muito tempo dizem que ter uma rotina é o ponto principal para que o trabalho remoto entregue o que a empresa deseja e, também, é importante para a saúde dos trabalhadores.

Rotina, a ‘mãe’ do home office

Horário para acordar, para iniciar e terminar o trabalho, sem se esquecer do almoço e de pausas para se hidratar ou ir ao banheiro. Hábitos são muito importantes para quem está começando no home office.

A liberdade oferecida pelo trabalho em casa pode virar uma armadilha se mal aproveitada. Isso porque pode desencadear problemas relacionados ao sono, que baixam a imunidade da pessoa e que não são ideais para este momento de pandemia.

“Eu organizo meu dia como se estivesse no escritório, acordo no mesmo horário. Meu horário é flexível, mas prefiro trabalhar em horário comercial, para me dedicar o resto do tempo para estudar ou praticar esportes”, conta Marta (faz home office há 10 anos)

Celular: o inimigo da concentração

As distrações não são exclusividades do trabalho em casa. Elas estão no escritório, no cafézinho e no seu bolso. O celular é apontado como um grande problema para o rendimento.

Neste momento, é compreensível que familiares, colegas e amigos sobrecarreguem o WhatsApp com informações e novidades do que está acontecendo com o avanço da Covid-19. Porém, se não tiver controle, você pode perder boa parte do seu dia no aparelinho.

Deixe o meme para depois. Se for possível, tente desativar as notificações dos aplicativos durante o horário de trabalho. Tire alguns minutos do expediente para checar as mensagens e responder, sempre evitando de ficar grudado ao celular.

Monte seu ‘escritório’

Como em muitos casos, o home office virou uma determinação de última hora e nem todo mundo conseguiu ter um escritório profissional dentro de casa. Mesmo assim, não é recomendado trabalhar sentado no sofá ou na cama.

É preciso ter um “cantinho” seu para desenvolver suas atividades profissionais. Uma mesa e uma cadeira é o essencial. Além disso, se for possível, que o ambiente seja iluminado e silencioso. Também é importante verificar equipamento e tecnologia para que o trabalho seja produtivo.

Roupa ou pijama, o importante é ‘virar a chave’

A roupa do home office divide a opinião dos profissionais. Mas a ideia principal é que você se sinta confortável para exercer sua atividade. Não precisa utilizar terno e gravata ou vestido social, mas também não é indicado usar pijamas.

“Embora a prática seja comum, trabalhar de pijama condiciona o cérebro a diminuir o ritmo das atividades. O conforto extra pode deixar o profissional mais lento, o que abre brechas para a distração. O mais indicado é vestir roupas leves, exceto em casos de reuniões virtuais, que demandam traje adequado”, explica Lucas Oggiam, da consultoria Michael Page.

Tire 15 minutos para planejar o dia

Veja dicas para trabalhar em home office sem perder a produtividade

Antes de sair correndo para tocar o serviço, pare, leia os e-mails, responda os contatos profissionais do WhatsApp, veja o que você tem que fazer para o dia e pense em um cronograma de execução: o que precisa ser entregue hoje, amanhã, semana que vem, etc.

Defina prioridades e seja produtivo

Feito o período de planejamento, agora já se sabe o que é prioritário para o dia e onde você deve direcionar sua energia. Ter mapeada essa prioridade é um dos principais segredos para ter uma boa produtividade no home office.

O mais importante é fazer uma lista das demandas, assim você consegue casar tempo e qualidade de entrega, sem se sobrecarregar.

Solidão?

O home office, por si só, já é algo solitário, especialmente se você mora sozinho ou precisou se isolar de sua família. Em tempos de pandemia, pode ser ainda pior, já que a quarentena te obriga a ficar em casa sem ver nenhum amigo ou parente, sem ir ao cinema ou sair para jantar.

Neste período de isolamento forçado, o médico Leonardo Goulart recomenda que as pessoas busquem fazer coisas que gostem, para que se distraiam em um momento em que o pânico pode tomar conta.

“Pode ter aumento da ansiedade, depressão… estresse. A gente quer ficar em casa, mas, quando está nela, quer trabalhar. Agora, ainda existe uma tensão no ar, e momentos piores poderão chegar”, afirma Goulart.

Quando tudo volta ao normal, podendo ir às ruas e passear, será possível ter uma noção melhor se o trabalho remoto é solitário para você ou não. Quem faz há mais tempo não reclama, mas algumas coisas fazem falta.

Em situações normais, o trabalho em casa traz mais conforto, mas também tem responsabilidades. É fazer bem para fazer sempre.

Fonte:
https://g1.globo.com/fique-em-casa/noticia/2020/03/30/home-office-ter-rotina-prioridades-e-isolar-o-celular-sao-receita-para-render-e-nao-perder-tempo.ghtml

Deixe uma resposta