Cuidados com o corpo durante a pandemia: atenção extra ao ouvido!

Cuidados com o corpo durante a pandemia: atenção extra ao ouvido Uso inadequado de cotonetes e fones de ouvido pode agredir o órgão e causar otite externa

Com tantas situações para prestar atenção durante a pandemia de Covid-19, como higienizar bem o ambiente e as mãos, determinados cuidados com o corpo ficam em segundo plano. É o caso do zelo com os ouvidos, órgãos pequenos, mas essenciais para o corpo humano.

O isolamento social deu, de certa forma, mais tempo para o consumo de produtos de entretenimento por aparelhos eletrônicos, o que valoriza o uso de fones de ouvido. Entretanto, é preciso ter cautela com o equipamento e tentar reduzir o uso dele o máximo possível.

O otorrinolaringologista André Alencar explica que os fones de ouvido podem agredir tanto o ouvido externo (da orelha ao tímpano), quanto o interno (parte mais profunda do órgão). Isso porque alguns aparelhos não são ergonômicos o suficiente, e a maioria tem volume acima de 80 decibéis (dB) – perigoso à saúde.

Outro instrumento muitas vezes mal utilizado é o cotonete. O costume de inserir a haste na parte mais profunda do ouvido é perigoso e errado, já que afunda ainda mais a cera de ouvido. De acordo com o especialista, a cera é produzida de forma a sair espontaneamente do órgão e não deve ser confundida com sujeira.

Por isso, é importante suspeitar de vermelhidão na pele do ouvido, coceiras, dores e sensação de ouvido tapado. Os sintomas podem significar uma otite externa, inflamação do ouvido externo, que pode ser alérgica, infecciosa ou inflamatória. Em casos mais avançados, o ouvido fica perceptivelmente mais inflamado.

O tratamento é simples e muitas vezes requer o uso de gotas não antibióticas, afirma Alencar. No entanto, pessoas com diabetes ou com doenças imunodeficientes podem chegar a desenvolver edemas, inchaço causado pelo excesso de líquidos nos tecidos do corpo, a partir da otite externa.

A inflamação causa muita dor e atrapalha em hábitos corriqueiros, como mastigar e até dormir em determinadas posições. “Apesar de parecer uma coisinha boba, é importante consultar no médico otorrinolaringologista. Esse tipo de patologia necessita, na maioria das vezes, de uma orientação presencial, porque a gente tem que saber se aquela orelha está realmente inflamada, com necessidade de usar antibiótico”, reforça o especialista.

Fonte:
https://www.opovo.com.br/coronavirus/2020/04/15/cuidados-com-o-corpo-durante-a-pandemia–atencao-extra-ao-ouvido.html

Deixe uma resposta